quarta-feira, 14 de abril de 2010

Pão de Milho Alemão


Essa receita é obra do meu pai! Ele tanto fez que conseguiu descobrir o jeitinho certo de fazer o pão de milho alemão. Tudo começou com os nossos queridos vizinhos da nova-terra-preferida dos meus pais: Taquaras. Ela não é uma cidade, mas nós amamos tanto que para nós ela é quase um país! Fica à uns 80km de Florianópolis-SC.

Bem, Taquaras fica na serra catarinense e é um pedacinho do céu. Faz pouco que o telefone chegou por lá... meus pais tem internet faz pouco mais de 1 ano! Riem à toa! Lá pode-se deixar a casa aberta (isso está acabando...), todos se conhecem, e claro compartilham mimos e receitas. Como o clima é frio, esse pão é a cara do lugar! Nem sei quantas são as senhoras que fazem o pão para vender, mas mesmo assim, compartilham a receita. Foi então que meu pai foi atrás! Esse pão é perfeito. Muito úmido, macio, saboroso! As senhoras "alemãs" fazem tudo à mão, mas eu... que não sou boba nem nada, taquei a planetária para trabalhar! Rá! :)

Pão de milho alemão

1 col de sopa de fermento biológico seco
1/2 xícara de água morna
1 col de sobremesa de açúcar
600g de farinha de trigo
1 xícara de farinha de polenta instantânea (ou fubá mimoso - não achei isso aqui, então fui de polenta instantânea branca - para justificar por que o pão ficou tão branquinho na foto)
Água fervendo o suficiente para fazer um mingau mole
2 col de sobremesa de sal
4 col. sopa de óleo
1 ovo

Comecei com o fermento. Usei aquele em bolinhas sabe? Então coloquei-o dentro de meia-xícara de água morna com 1 col. de sobremesa de açúcar. Deixei agir por 10 minutos. Enquanto isso, preparava a polenta. Coloquei a farinha de milho numa vasilha e fui colocando água fervendo e mexendo sem parar. O ponto é um mingau/polenta mole. Deixei esfriar um pouco e coloquei o sal, o óleo e o preparado de fermento. Misturei tudo e fui acrescentando a farinha de trigo. A massa é mole!

Deixei crescer por 45 min. Baixei a massa e dividi em duas fôrmas médias de pão (apenas untei com óleo). Deixei crescer novamente até que a massa chegasse à borda da fôrma. Assei por 50 minutos em 200ºC.

Como falei lá em cima, usei a batedeira (planetária com o gancho, batendo por 12 minutos na velocidade 2), mas não precisa. Pode ser feita tranquilamente à mão. Vale à pena!

Para mim esse pão vai super bem com doce de abóbora com coco numa tarde de outono!

Beijos

9 comentários:

Gabi Cooper disse...

Putz, obrigada por esta receita!!

Sou gaúcha também, meus avós são alemães, e moro nos EUA agora. Quando eu era mais jovem, íamos passar os finais de semana no sítio da família em Nova Hartz, RS. Amamos ir para lá. Eu lembro meus avós serviam um café colonial todas as tardes, com direito à tudo, inclusive este pão. A minha avó (Oma) o chama de Pão da Galinha Ruiva. Nunca esquecerei.
Estava à busca desta receita e achei teu blog.

Thanks so much! Gabi.

Aline disse...

Oi Gabi!! Que bom que te ajudei. Gosto demais desse pão e sentia falta dele quando morava fora do BR. Espero que ele deixe seus cafés com cara de "casa de vó". Beijos. Aline.

Joel Moacir Pires disse...

Essa receita lembra da infância do meu marido e minha.Minha avó que morava em Taquara fazia esse pão e quando eu ia pra lá nos finais de semana era a primeira coisa que fazíamos,comer o pão da vovó.Obrigada.Neide joelmpires@hotmail.com

Katia Tomasi disse...

Aline eu fiz tua receita agora, e estava esperando a massa crescer os 45 min. Mas, ela não cresceu até agora... Fiquei em dúvida em algumas coisas, por exemplo: em que momento coloca-se o ovo? A massa fica em ponto de pão normal, ou seja soltando das mãos? É necessário sovar a massa?

Ana Maria disse...

Oi,
Você não imagina a minha alegria ao ler essa receita. Sou neta de imigrantes alemães e durante toda minha infância e juventude vi minha Vovó Virgínia fazendo exatamente esse pão, mas claro que eu não anotei!
Agora estava no meu atelier costurando uma colcha de patchwork com o tema Minha Família e veio na lembrança o Pão de Milho da Vovó, vim pesquisar no google e cheguei até a tua receita.
Nem preciso te dizer, que já salvei a receita e que agora mesmo vou para a cozinha começar meu pão de milho. Pena que eu não tenho uma gamela (recipiente de madeira onde minha Vovó amassava o pão e nem o forno a lenha onde meu Vovô Frantz fazia o fogo e deixava no ponto para assar os pães todos os sábados.
Muitos para você e muitissimo obrigada!

Ana Maria disse...

Aline,
Também sou gaúcha, moro em Santo André - SP.

Ana Carolina disse...

Hummmm que delicia estou fazendo ... Ta crescendo ... Só fiquei na duvida no ponto da massa ... Bati na maquina de pão e agora estou deixando crescer, de gosto a massa esta uma delicia !
Beijos
Ana

Pamela Chaves disse...

muito bom!!!

ania disse...

Estava aprocura dessa receita e a encontrei aqui...que maravilha! Mil vezes obrigada!!! Amei teu blog, parabéns! bjos..

Postar um comentário